This is the Portuguese manual for GNU Gatekeeper 2.0.6.
A more recent (English) manual for your version is in your GnuGk download archive.

Capítulos: Índices · 1. Introdução · 2. Instalando · 3. Iniciando o uso · 4. Usando o GnuGk · 5. Monitorando o GnuGk

3. Iniciando o uso (Tutorial)

3.1 Um primeiro experimento

Para ver se todos os componentes estão funcionando, use 2 estações de trabalho Linux, ambas conectadas a uma LAN. É preciso ter instalado previamente pelo menos a versão 1.1 do OpenH323 e OhPhone. Na primeira máquina execute o gatekeeper e ohphone (em diferentes consoles):

jan@machine1 > gnugk -ttt

Agora que o gatekeeper está executando no modo direto. A opção "-ttt" diz ao gatekeeper que ele deve gerar um certa quantidade de logs na saída de console (você pode direcionar a saída para um arquivo com a opção "-o logfile").

jan@machine1 > ohphone -l -a -u jan

Esta configuração (-l) faz com que o OhPhone se prepare para receber chamadas e aceite automaticamente estas (-a). O próximo parâmetro especifica que o usuário será registrado como jan com o gatekeeper, este último sendo detectado automaticamente. (Se a auto detecção falhar por alguma razão use o parâmetro "-g 1.2.3.4" para especificar o endereço IP do gatekeeper desejado.)

Na segunda máquina execute o ohphone:

peter@machine2 > ohphone -u peter jan

Esta segunda instância do OhPhone se registra através da auto-detecção como sendo o usuário peter e tenta realizar uma ligação para o usuário jan. O gatekeeper irá resolver a partir do apelido do usuário, o seu endereço IP com o qual o usuário jan esteja registrado (machine1 neste caso) e desta forma o OhPhone irá realizar uma chamada para a outra instância do OhPhone da machine1.

A primeira instância do OhPhone irá aceitar automaticamente esta chamada e então Peter e Jan poderão conversar.

3.2 Usando a interface de Status para "espiar" o gatekeeper

Agora, para verificarmos que as mensagens foram manipuladas pelo gatekeeper. Na console da machine1 usaremos o telnet para conectar com o gatekeeper:

jan@machine1 > telnet machine1 7000

Muito provavelmente nós veremos a mensagem "Access forbidden!" (Acesso Proibido), porque não é permitido a qualquer um "espiar" o gatekeeper.

Assim sendo, precisamos criar um arquivo básico chamado gatekeeper.ini e colocar ele no mesmo diretório de onde iniciamos o gatekeeper. O arquivo gatekeeper.ini vai conter somente 4 linhas:

[Gatekeeper::Main]
Fourtytwo=42
[GkStatus::Auth]
rule=allow

Pare o gatekeeper com Ctrl-C e reinicie. Quando nós tentarmos usar o telnet novamente, nós então nos conectaremos com o gatekeeper. Repetindo o primeiro experimento onde Peter chama Jan e vê quais mensagens são manipuladas pelo gatekeeper no modo direto. Existe um conjunto de comandos que pode ser colocado na sessão telnet de status: Digite "help" para visualizar estes comandos. Para finalizar a sessão telnet com o gatekeeper digite "quit" e pressione Enter.

3.3 Iniciando o gatekeeper em modo GK-routed

Iniciar o gatekeeper no modo GK-routed significa que o gatekeeper usará o "modo de sinalização roteada pelo gatekeeper" para todas as chamadas. Neste modo o gatekeeper todas as mensagens passam necessariamente pelo gatekeeper o que dá muito mais controle sobre as chamadas.

jan@machine1 > gnugk -r

Agora que nós estamos executando o gatekeeper no modo GK-routed. Faça Telnet na porta de status e realize uma chamada para ver que mensagens são manipuladas pelo gatekeeper.

Observe que todos os pacotes de mídia (audio e video) ainda são enviados diretamente entre os endpoints (ou seja, as 2 instancias do ohphone).

Como a sinalização roteada pelo gatekeeper é muito mais complicada é provável usar este modo para traçar bugs, e manter o registro de todas as mensagens. ;-)

3.4 Um PBX virtual: Desconectado chamadas

Até agora o gatekeeper agiu como um mecanismo de resolução de nomes para endereços IP. Esta é uma funcionalidade importante, mas não é muito empolgante.

Como o gatekeeper tem uma série de controles sobre as chamadas, ele terminar elas por exemplo. Assim, quando nós estivermos conectados na porta de status, nós poderemos gerar a lista de todas as chamadas ativas com o comando "PrintCurrentCalls". Para finalizar uma chamada, nós podemos digitar "Disconnectip 1.2.3.4" para desconectar um dos terminais H.323.

Alguém poderia escrever um script simple que se conectaria a porta de status e verificaria todas as chamadas ativas e terminaria aquelas que excedem-se 5 minutos, desta forma nenhum usuário iria abusar dos recursos.

Este mecanismo também poderia ser usado para transferir chamadas entre usuários ou encaminhar chamadas. (Mas isso ainda não está implementado no gatekeeper.)

3.5 Roteando chamadas através de um gateway para alcançar usuários externos

Sem usar um gateway você pode chamar somente outras pessoas com outro telefone IP através da Internet. Para alcançar pessoas com telefones normais você deve usar um gateway.

_________________          ______________
| endpoint "jan"|          |            |
| 192.168.88.35 |--------->| Gatekeeper |
|_______________|          |            |
_________________          |            |
| gateway "gw1" | outgoing |            |
| 192.168.88.37 |<---------|____________|
|_______________|

O gatekeeper deve conhecer quais prefixos serão suportados pelo gateway e quais números podem ser alcançados diretamente. Usando a seção [RasSrv::GWPrefixes] do arquivo de configuração é explicitado quais prefixos de números que poderão ser roteados pelo gateway.

[RasSrv::GWPrefixes]
gw1=0

Esta entrada do exemplo diz que o gatekeeper irá encaminhar todas as chamadas com número E.164 numbers iniciando com 0 serão encaminhadas para o gateway registrado com o apelido (alias) H.323 "gw1". Se não houver nenhum gateway com este alias a chamada irá falhar. (Observe que você deve usar o apelido para identificar o gateway - você não pode simplesmente configurar no gatekeeper o endereço IP do gateway.)

3.6 Reescrevendo números E.164

Quando usamos um gateway frequentemente temos que usar um plano de numeração interna e rescrever esta numeração discada antes de ser enviada para dentro da rede telefonica. Portanto, nós podemos fazer uso da seção RasSrv::RewriteE164 para configurar esta funcionalidade.

Exemplo: Nós queremos chamar o número 12345 com o nosso telefone IP e isto será interpretado automaticamente como uma ligação para o número 08765 que está atrás do gateway "gw1".

[RasSrv::GWPrefixes]
gw1=0

[RasSrv::RewriteE164]
12345=08765


Página seguinte Página anterior Índice

Capítulos: Índices · 1. Introdução · 2. Instalando · 3. Iniciando o uso · 4. Usando o GnuGk · 5. Monitorando o GnuGk



Last updated: 16. Nov 2017
Page maintained by Jan Willamowius